Quem sou eu

Minha foto
São Luís, Maranhão, Brazil
Eu sou um poema inacabado que ninguém nunca leu. Eu sou a paisagem daquele quadro que o pintor não terminou. Eu sou uma tarde quente de verão em que não choveu. Eu sou Aquele rio que secou Antes de alcançar o mar. Eu sou aquele sonho bonito que ninguém realizou. Eu sou a escultura quase perfeita que caiu da mão e quebrou. Eu sou aquela paixão gostosa que por medo, alguém sufocou. Eu sou o amor que alguém esperava mas nunca chegou. Eu sou metade do que eu desejava ser... o dobro do que eu nunca esperei!!!

23 de nov de 2010

Um desabafo....


“...Esta é uma estória triste de uma pobre menina iludida com um amor platônico... Ela vivia bolando mil planos para chamar atenção de alguém que nem olhava pra ela... arranjou um dia um namoradinho, para ensaiar cenas de ciúme... para treinar como seria quando estivesse namorando de verdade...Ela se machucou e machucou um outro coração nesse plano arriscado...Até que os papéis se inverteram...E ela descobriu o que era o amor da pior forma... perdendo-o....”

Eu vejo a tua fotografia.... Guardo o teu olhar no meu coração, teu jeito de menino tímido, desengonçado, gordinho, introspectivo... Guardo as suas birras... os seus ciúmes, o biquinho que você fazia só pra eu te bajular...no fundo eu gostava de domar a sua zanga...Depois ficávamos juntinhos calados...mas não precisavam palavras...o melhor das brigas era sempre fazer as pazes....

Você era um menino... e eu era muito criança....olhando por fora, nem sei como se interessou por mim.... fiz tudo errado, desde o começo.... decepcionei... mas eu já estava decepcionada....magoei porque eu já estava magoada...não foi por querer, nem por maldade...era só a cegueira da adolescência...eu não imaginava que era sério...é muito triste que eu não tenha percebido isso naquela época....eu não sabia lidar com meus próprios sentimentos...que dirá com os de outra pessoa...

Eu não era exatamente o tipo mais popular... mas você me enxergava como eu era...e gostava de mim como eu era... Eu também gostava de você, da sua companhia, me sentia segura por que parecias um urso perto de mim...rs...Eu gostava do seu lado sério...melancólico...Gostava dos seus braços, do aconchego quando chovia...Eras calado, e te fazer sorrir era um desafio pra mim...Mas eu era caleidoscópica...e ainda sou, um dia estava bem....outro estava ruim....um dia estava apaixonada por você e no outro dia desejava que você desaparecesse....me sentia sufocada...asfixiada...pelas cobranças, pelo ciúmes... eu tinha medo...tinha medo de descobrir o que eu estava sentindo...fiquei confusa entre o que eu achava que queria,e o que era totalmente novo pra mim,e então eu fugi.....

Sinto que tenha te magoado, e sinto ter te perdido... você foi o que houve de real, de puro na minha tola infância... e eu não soube viver isso...perdão!

Queria ter naquele tempo a cabeça que tenho hoje, pois não sou mais aquela menina bonitinha daquela época, mas não sinto falta mais dela, ela era muito burrinha... só voltaria de novo aqueles tempos para te beijar embaixo de chuva mais uma vez e acariciar teus cabelos sentindo teus lábios nos meus, misturado a chuva, suor ,e saudade... e com borboletas no estômago....te diria baixinho....te amo!

Incrível como os sentimentos se transformam em palavras e um dia simplesmente viram uma pagina de um blog....que fique registrado aqui,o meu pesar...e a quem ler grito: CARPE DIEM!!!! Viva o hoje! Amanhã pode ser tarde demais...Jovenzinhos..amem as pessoas que amam vocês, não se iludam com futilidades...não se deixem influenciar.... enxerguem o amor....ele pode estar agora a dois passos de você...como pode estar a mil léguas...(no meu caso)

31 de mai de 2010

Uma das músicas que marcaram a minha vida

Strani amori

Mi dispiace devo andare via
Ma sapevo che era una bugia
Quanto tempo perso dietro a lui
Che promette e poi non cambia mai
Strani amori mettono nei guai
Ma, in realtà, siamo noi

E lo aspetti ad un telefono
Litigando che sia libero
con il cuore nel lo stomaco
Un gomitolo nell’angolo
Lì da sola, dentro un brivido
Ma perché lui non c’è

E sono strani amori che
Fanno crescere e sorridere
Fra le lacrime
Quante pagine lì da scrivere
Sogni e lividi da dividere
Sono amori che spesso a questa età
Si confondono dentro a quest'anima
Che si interroga senza decidere
Se è un amore che fa per noi

E quante notti perse a piangere
Rileggendo quelle lettere
Che non riesci più a buttare via
Dal labirinto della nostalgia
Grandi amori che finiscono
Ma perché restano nel cuore

Strani amori che vanno e vengono
Nei pensieri che lì nascondono
Storie vere che ci appartengono
Ma si lasciano come noi

Strani amori fragili
Prigionieri, liberi
Strani amori mettono nei guai
Ma, in realtà, siamo noi

Strani amori fragili
Prigionieri, liberi
Strani amori che non sanno vivere
E si perdono dentro noi

Mi dispiace devo andare via
Questa volta l’ho promesso a me
Perché ho voglia di un amore vero
Senza te

Estranho Amor

Me desculpe devo ir embora
Mas sabia que era uma mentira
Quanto tempo perdido atrás dele
Que promete depois nunca cumpre
Estranhos amores que nos metem em problemas
Mas na realidade, somos nós.

E na espera de um telefonema
Brigando para que esteja livre
Com o coração no estômago
E um nó na garganta
Ali sozinho, dentro um arrepio
Mas porque ele não está

E são... Estranhos amores que
Fazem crescer e sorrir
Entre as lágrimas
Quantas paginas ali para escrever
Sonhos e marcas para dividir.
São amores freqüentes a esta idade
Se confundem dentro desta alma
Que se interroga sem decidir
Se é um amor que se faz por nós

E quantas noites perdidas a chorar
Relendo aquelas cartas
Que não consegue mais jogar fora
Do labirinto da saudade
Grandes amores que terminam
Mas que ficam, no coração

Estranhos amores que vão e voltam
Nos pensamentos que os escondem
Histórias verdadeiras que nos pertencem
Mas se deixam como nós

Estranhos amores frágeis
prisioneiros livres
estranhos amores que nos metem em problemas
mas na realidade, somos nós

Estranhos amores frágeis
Prisioneiros livres
Estranhos amores que não são sadios de viver
E se perdem dentro de nós

Me desculpe devo ir embora
Desta vez prometo a mim
Porque quero um amor de verdade
Sem você.