Quem sou eu

Minha foto
São Luís, Maranhão, Brazil
Eu sou um poema inacabado que ninguém nunca leu. Eu sou a paisagem daquele quadro que o pintor não terminou. Eu sou uma tarde quente de verão em que não choveu. Eu sou Aquele rio que secou Antes de alcançar o mar. Eu sou aquele sonho bonito que ninguém realizou. Eu sou a escultura quase perfeita que caiu da mão e quebrou. Eu sou aquela paixão gostosa que por medo, alguém sufocou. Eu sou o amor que alguém esperava mas nunca chegou. Eu sou metade do que eu desejava ser... o dobro do que eu nunca esperei!!!

31 de dez de 2011

Fugaz 2011....Adeus Ano Velho!



Despeço-me deste ano glorioso e maldito, de batalhas perdidas e de louros ganhos, de tesouros encontrados e pedaços de mim enterrados, de tudo que fui, de tudo que sou, dos risos que dei, lágrimas que derramei.
Do que falei e acrescentei,e do que falei em vão,e me arrependi...
Das tardes quentes sem chuva, das noites mortas sem amor.
Da solidão que me inspira e que me tortura, do meu livro que nunca terminei,dos meus planos de futuro,que agora são passado, do tempo que perdi,mas na verdade,troquei por experiência.
Vejo ao redor de mim, cada dia, o passar das horas,o cair das folhas, o orvalho em minhas roseiras,o romper da aurora, o vento que sussurra por entre os meus cabelos, lamuriando-se e contando segredos de suas peregrinações.
Quando olho então, para tudo, eu já não vejo mais a tristeza, nem o descaso, eu vejo cada dia como uma tela vazia, que necessita ser pintada com as cores certas, há dias cinzentos, com nuances negras, mórbidas e tempo nublado. E há os dias, dados por Deus,dias como este, dourados,cerúleos,e vivos, dias de renovação. Se vemos os dias como vazios,vazios serão, se não fizermos nada....nós é que decidimos,nós é que jogamos, nós "pintamos" o nosso dia com as cores que desejamos,expressamos neles nossas derrotas,conquistas,felicidades e tristezas. Neste dia onde a vida respira o ar puro do campo, a vida está em toda parte, no desabrochar das rosas,e no solo escuro aparentemente morto,feio e triste. há vida nos pardais, que tomam banho de areia com a alegria de uma criança na praia. Eles não se preocupam com o dia de amanhã,se terão onde beber,onde comer,onde dormir, eles vivem o hoje, o presente,e se satisfazem com a provisão de Deus.Assim também devemos descansar em Deus,nem tudo vem pela força do nosso braço.

Hoje,último dia do ano é um dia significativo para todos, é a renovação da vida...
É mais um ano que nos é dado,de convivência....são dádivas dadas por Deus.

Aproveitemos, vivamos intensamente,não nos calemos á impunidade, nos regozijemos com a verdade. Seremos felizes simplesmente por estarmos preenchidos com coisas boas,um bom caráter, uma boa personalidade....
Ainda na solidão teremos a boa companhia de nós mesmos...todo o resto passa, a beleza,a fama e tudo o mais...só fica mesmo, aquilo que nos faz essencialmente pessoas boas, a família, o amor, a amizade.

Que o ano que se inicia seja próspero, traga saúde, reconciliação, perdão!
Que amemos uns aos outros,pois somos partes uns dos outros, somos irmãos.

O que realmente se celebra no Revéillon é a passsagem de ano com UNIÃO, ONDE TODOS ESTÃO JUNTOS,PELO MENOS ENQUANTO DURA A PASSAGEM E A QUEIMA DE FOGOS. OBSERVA-SE QUE NAQUELES FUGAZES MOMENTOS,ESQUECE-SE QUE SE ESTÁ ENTRE ESTRANHOS, AS PESSOAS SORRIEM UMAS PARAS AS OUTRAS E ATÉ SE ABRAÇAM NA PRAIA.

Abracem este dia e aproveitem,aproveitem o acordar de cada manhã e agradeça,você é muito importante para Deus.

Desejo a todos um feliz Ano Novo!

Khadge Salomão

O Amor - Gibran Khalil



Quando o amor vos chamar, segui-o,
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados;
E quando ele vos envolver com suas asas, cedei-lhe
Embora a espada oculta na sua plumagem possa ferir-vos;
E quando ele vos falar, acreditai nele,

Embora sua voz possa despedaçar vossos sonhos
Como o vento devasta o jardim.
Pois, da mesma forma que o amor vos coroa,
Assim ele vos crucifica.
E da mesma forma que contribui para vosso crescimento,
Trabalha para vossa queda.

E da mesma forma que alcança vossa altura
E acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol,
Assim também desce até vossas raízes
E as sacode no seu apego à terra.

Como feixes de trigo, ele vos aperta junto ao seu coração.
Ele vos debulha para expor vossa nudez.
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas.
Ele vos mói até a extrema brancura.
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis.

Então, ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma
No pão místico do banquete divino.
Todas essas coisas, o amor operará em vós
Para que conheçais os segredos de vossos corações
E, com esse conhecimento,
Vos convertais no pão místico do banquete divino.

Todavia, se no vosso temor,
Procurardes somente a paz do amor e o gozo do amor,
Então seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez
E abandonásseis a eira do amor,
Para entrar num mundo sem estações,
Onde rireis, mas não todos os vossos risos,
E chorareis, mas não todas as vossas lágrimas.

O amor nada dá senão de si próprio
E nada recebe senão de si próprio.
O amor não possui, nem se deixa possuir.
Porque o amor basta-se a si mesmo.

Quando um de vós ama, que não diga:
“Deus está no meu coração”,
Mas que diga antes:
"Eu estou no coração de Deus”.
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor,
Pois o amor, se vos achar dignos,
Determinará ele próprio o vosso curso.

O amor não tem outro desejo
Senão o de atingir a sua plenitude.
Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos,
Sejam estes os vossos desejos:
De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho
Que canta sua melodia para a noite;

De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada;
De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor
E de sangrardes de boa vontade e com alegria;

De acordardes na aurora com o coração alado
E agradecerdes por um novo dia de amor;

De descansardes ao meio-dia
E meditardes sobre o êxtase do amor;

De voltardes para casa à noite com gratidão;

E de adormecerdes com uma prece no coração para o bem-amado,
E nos lábios uma canção de bem-aventurança.