Quem sou eu

Minha foto
São Luís, Maranhão, Brazil
Eu sou um poema inacabado que ninguém nunca leu. Eu sou a paisagem daquele quadro que o pintor não terminou. Eu sou uma tarde quente de verão em que não choveu. Eu sou Aquele rio que secou Antes de alcançar o mar. Eu sou aquele sonho bonito que ninguém realizou. Eu sou a escultura quase perfeita que caiu da mão e quebrou. Eu sou aquela paixão gostosa que por medo, alguém sufocou. Eu sou o amor que alguém esperava mas nunca chegou. Eu sou metade do que eu desejava ser... o dobro do que eu nunca esperei!!!

20 de ago de 2014

Perdida...


A sua vida toda você se prepara para a batalha,se levanta dos tombos profissionais e emocionais que a vida dá e um dia acha que já viu tudo, que já não há nada que possa abalar seu emocional,afinal você está pronto para identificar o menor sinal de perigo, porém, o perigo maior "por assim dizer" é o perigo dos fatos genuínos, das afinidades,cumplicidade...essas coisas não encontramos todo dia,e elas tiram os seus pés do chão,te põe na zona do perigo pois você está vulnerável,andando em cima do muro entre a euforia e a queda, se vê fora do seu próprio controle,não sabe onde isso pode te levar....medo! Como contestar o Criador sobre as voltas que a vida dá, idas e vindas, chegadas e partidas e o efeito disso sobre nós... Quisera a vida fosse um sonho de criança, para num breve limiar de felicidade e graça,e ali eu ficasse congelado para sempre,como as impressões que ficam guardadas na memória... Divina comédia humana,estou num turbilhão junto com os fatos recentes... êxtase,emoções desconhecidas,me sinto perdida no mundo...os velhos conceitos caíram... Então as pernas tremem, a voz cala, e com os olhos rasos d'água,volto a ser a menina, insegura,tímida sem saber o que me aguarda...medo! Friozinho na barriga,me olho no espelho e vejo:não me reconheço mais tão bem.. Perplexa comigo mesma pela minha própria surpresa,penso no sentido disso tudo... De achar e perder...Levantar voo e cair... medo! Olhos nos olhos,tiras as palavras da minha boca e me constrange...palavras são clichês perto do que eu gostaria de falar, ou melhor seria não falar, não ousar,o preço é alto demais para ser pago... Foi a puxada de tapete que o destino me reservou, não preciso que me entendam, só preciso deixar registrado aqui tudo que vivi,antes que eu me sufoque por não falar, daquilo que me transborda e mata...mais uma vez acovardada,entre deixar o barco me levar ou me resguardar das maresias daquele mar. Aí você entende que nunca se é adulto suficiente,que vai doer de uma forma ou de outra....ou porque foi muito ruim,ou porque foi bom, mas tão bom, que você preferiria não ter provado,só pra não perder depois.

Nenhum comentário: